No dia 9 de novembro celebramos a Solenidade da dedicação da Basílica de Latrão. Conheça mais sobre essa celebração e a história da Catedral:

Localizada no Vaticano, a Basílica, que é também a catedral de Roma, é considerada a Mãe de todas as Igrejas da Cidade e do Mundo (Urbe et Orbe). Dessa forma, celebrar a festa de dedicação dessa catedral significa celebrar nossa comunhão profunda com o Papa e a Igreja Católica.

“A esta Igreja (romana) por sua preeminência mais poderosa, é necessário que se unam todas as Igrejas, isto é, os fiéis de todas as partes, pois nela se conservou sempre a tradição recebida dos apóstolos pelos cristãos de todas as partes”. Santo Irineu

O termo “Latrão” está relacionado ao lugar onde foi construída a basílica. O terreno pertencia à família “dei laterani” e foi herdado pela mulher do Imperador Constantino. Posteriormente o terreno foi doado por Constantino a Igreja e o palácio a partir do século lV tornou-se morada do Papa.

A Basílica do Latrão é de suma importância para os cristãos católicos. Ela é a Catedral do Bispo de Roma, o Papa. A Igreja de Roma é aquela que preside todas as demais Igrejas na caridade. Por isso ela é chamada de ‘Mãe e Cabeça de todas as igrejas’.

Catedral vem da palavra cátedra, originada da palavra cadeira. Cada diocese espalhada pelo mundo todo, tem uma catedral, que é o lugar onde o bispo diocesano governa e conduz aquela Igreja local. Todas elas estão ligadas a Roma e a catedral de São João de Latrão, que é governada pelo Papa.

A Catedral de Latrão é também um sinal de unidade entre todas as catedrais, visto que através dela, o Papa Francisco governa a Igreja toda, no sentido espiritual.

Além de catedral, a Igreja de Latrão é uma basílica. Basílica é um lugar onde existe um grande número de peregrinos, um grande número de confissões e atividades espirituais (procissões, missas, vigílias), mas principalmente é o lugar onde existe uma manifestação religiosa muito grande.

Todas as igrejas, sejam elas catedrais, paroquias ou basílicas, passam por uma dedicação antes de serem inauguradas. A dedicação recorda que o povo que se reúne ali é igreja viva e tem uma casa chamada Igreja.

 A dedicação é um rito, que começa com a procissão popular até a igreja que será dedicada, passa pela aspersão da água no povo, paredes e altar, pela inauguração do ambão, escuta das leituras e textos sagrados, dedicação do altar acompanhada da ladainha de todos os santos, prece e sinais como a unção com o óleo do crisma no altar e nas paredes, além da queima de incensa no altar. A parte principal e indispensável de todo o rito é e liturgia eucarística e a inauguração da Capela do Santíssimo. Uma igreja, depois de ser dedicada, comemora sempre essa data.

Celebrar a dedicação de um templo é também celebrar aquilo que, na verdade ele representa: o Corpo Místico de Cristo. É nele que se recebem os maiores favores divinos. No Antigo Testamento, o templo de Jerusalém era o sinal da presença do Ser Supremo entre os homens. A Bíblia ensina que Deus está no céu, mas o templo é como que uma cópia fiel do palácio celeste, que o Onipotente torna presente aqui na terra. 

O verdadeiro católico preza a Catedral do Papa, a Basílica de Latrão; tem carinho especial para com a Catedral de sua Diocese e para com a Igreja Paroquial, Matriz de todas as outras; lembrado sempre de que, sendo o templo vivo de Deus, deve ornamentar esta Casa Santa com as virtudes, cuidando de seu corpo e respeitando a dignidade de cada ser humano, criado à imagem e semelhança do Criador,  estimando sobretudo o batizado templo consagrado ao Espírito Santo.

 

 

 

Deixe seu comentário

Post relacionados