Neste tempo quaresmal, o Papa Francisco nos recorda que a Quaresma é o momento de se conectar com o Evangelho, a voz de Deus; um Deus desejoso por falar aos nossos corações.

Essa conexão se dá por meio de um encontro Face a Face com Cristo:

“Um diálogo coração a coração, de amigo a amigo. Por isso mesmo, é tão importante a oração no tempo quaresmal.’’

Diante disso, somos convidados a nos desconectarmos do celular, das redes sociais e da internet, de modo geral. Isso porque, na maioria das vezes, não vivemos uma relação saudável com a comunicação; não encontramos a Face de Cristo nas redes sociais.

Vivemos uma era em que os meios de comunicação não nos levam a um diálogo com o Senhor, mas o interrompem. Além disso, somos levados a um diálogo com outras realidades, superficiais e mundanas.

"Hoje, se insulta como se dissesse “Bom dia”. Somos submergidos de palavras vazias, publicidades e anúncios falsos. Nos acostumamos a ouvir tudo sobre todos e corremos o risco de cair num mundanismo que atrofia os nossos corações.’’

Na oração do Angelus, no último domingo (01 de março), o Santo Padre ressaltou que com o diabo não se dialoga jamais.

Quantas vezes, por meio de publicações, imagens e palavras, somos levados a um diálogo com o diabo?

“Também hoje Satanás irrompe na vida das pessoas para tentá-las com suas propostas atraentes; ele mistura a sua às muitas vozes que tentam domar a consciência. De muitos lugares chegam mensagens convidando as pessoas a "deixarem-se tentar" para experimentar a embriaguez da transgressão.”, destacou o Pontífice.

Diante das tentações, desse uso pervertido da comunicação, existe um caminho a seguir: o caminho do deserto, onde Jesus enfrentou as tentações do maligno, com a palavra de Deus.

 

Estar no deserto

Assim como nos ensina o Santo Padre, estar no deserto “é estarmos envolvidos num grande silêncio: sem barulho, a não ser do vento e da nossa respiração.

É ausência de palavras para dar espaço a outra Palavra, a Palavra de Deus, que acaricia o nosso coração como a brisa suave. O deserto é o lugar da Palavra, com letra maiúscula.’’

No deserto, encontra-se a intimidade com Deus; somos ensinados a sairmos de nós e procurarmos o Pai, que fala aos nossos corações.

“A Quaresma é o tempo de se dedicar a uma ecologia saudável do coração, fazer uma limpeza nele. Vivemos num ambiente poluído por muita violência verbal, por muitas palavras ofensivas e nocivas, que a rede amplifica.”

Façamos também essa limpeza prática: deixemos de seguir perfis e consumir conteúdos que interrompam o silêncio do coração, o diálogo íntimo com o Senhor.

Estejamos atento àqueles que nos  aproximam da voz de Cristo.

‘’Olhemos para as nossas vidas: quantas coisas inúteis nos circundam. Seguimos mil coisas que parecem necessárias, mas na realidade não são. Nos fará bem nos libertar de muitas realidades supérfluas a fim de redescobrir o que interessa e reencontrar o rosto de quem está ao nosso lado.

E sobre isso, Jesus nos dá o exemplo, jejuando. Jejuar é saber renunciar às coisas vãs, supérfluas, para ir ao essencial. Jejuar não é apenas para emagrecer, jejuar é ir ao essencial, é buscar a beleza de uma vida mais simples” - Papa Francisco.

Deixe seu comentário

Post relacionados