No dia 10 de fevereiro, celebramos o dia de Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, pai do monarquismo cristão. Ambos nasceram em 480, em Núrsia, na Itália.

Filhos de família rica e nobre, sofreram uma grande perda logo ao nascer, pois a mãe faleceu no parto. Apesar da ausência da mãe, receberam educação primorosa e sólida formação na fé cristã. Assim, Santa Escolástica, ainda muito jovem, e antes mesmo de se tornar monja, decidiu consagrar-se totalmente a Deus, com o voto de castidade.

Santa Escolástica começou a seguir Jesus muito cedo. Mulher de oração, ela sempre acompanhou o irmão através da intercessão.

O voto de castidade feito por ela, tão cedo, mostra a certeza de sua vocação. Porém, ela ainda não sabia como deveria viver este chamado profundo. No tempo de seu amadurecimento vocacional, seu irmão, São Bento, fundou a Ordem Beneditina e o primeiro mosteiro cristão do Ocidente. A regra de vida dos beneditinos era a inspiração que faltava para Santa Escolástica discernir por completo sua vocação. Assim, ela seguiu os passos do irmão e fundou o ramo feminino da Ordem Beneditina. Um pequeno grupo de moças a acompanhou nesta jornada.

A relação de Santa Escolástica com seu irmão gêmeo, São Bento, era intensa. Havia entre eles uma ligação inspiradora. Os mosteiros masculino e feminino ficavam perto um do outro. Porém, os dois irmãos só se viam uma vez por ano, no tempo da Páscoa, por causa das regras de vida e das mortificações que se impunham.

Certa vez, num desses encontros entre os irmãos, Santa Escolástica, através de sua intimidade com Deus, teve a revelação de que a sua partida estava próxima. Então, depois do diálogo e da partilha com seu irmão, ela pediu mais tempo para conversar sobre as realidades do céu e a vida dos bem-aventurados. Mas São Bento, que não sabia do que se tratava, por causa da regra disse “não”. Ela, então, inclinou a cabeça, fez uma oração silenciosa e o tempo, que estava tão bom, tornou-se uma tempestade. Eles ficaram presos no local e tiveram mais tempo.

A reação de São Bento foi de perguntar o que ela havia feito e desejar que Deus a perdoasse por aquilo. Santa Escolástica, na simplicidade e na alegria, disse-lhe: “Eu pedi para conversar, você não aceitou. Então, pedi para o Senhor e Ele me atendeu”.

Três dias depois deste último encontro, Santa Escolástica faleceu. São Bento, em oração, viu o espírito da irmã, como uma pomba, entrar no paraíso. Por isso, Santa Escolástica é representada com uma pomba branca na mão ou no peito. Era o dia 10 de fevereiro do ano 547.

Em memória desse episódio, Santa Escolástica é invocada contra os raios e também para obter a chuva.

Santa Escolástica, rogai por nós!

Deixe seu comentário

Post relacionados